• RH Bahia
  • RH Bahia
  • Casa Nova
  • Prêmio Boas Práticas
  • marca do passe livre
  • Dia das Crianças - Secretaria lança campanha Bote Fé no Futuro
  • Campanha Respeita As Mina
  • PAA  Leite - Cadastramento
  • Diário Oficial
  • Transparência Bahia
  • Compras Net

Redução de Danos

11/07/2019 12:07

Feira de Saúde e Cidadania garante direitos à população em situação de rua

Pessoas em situação de rua da região da Cidade Baixa, em Salvador, participaram na manhã desta terça-feira (09), da “Feira de Saúde e Cidadania dos Mares”. O evento organizado por serviços da rede de atenção e cuidado do território gerou cerca de 80 encaminhamentos de demandas dos assistidos para serviços com consulta médica, emissão de cartão do SUS (Sistema único de Saúde), exames de baciloscopia e emissão de carteira de trabalho.  Também ocorreram uma roda de capoeira com cerca de 30 pessoas e uma palestra sobre Infecções Sexualmente Transmissíveis ISTs/Aids para os/as assistidos/as.

Para Edivaldo da Silva, 35, vendedor de amendoim que viveu em situação de rua desde a infância e há pouco tempo conseguiu um benefício com apoio da rede para alugar uma casa, ações como essas são fundamentais para promoção de direitos de pessoas com pouco acesso à serviços públicos de saúde e assistência social. “Eu fui [conseguiu o auxílio aluguel] pelo Centro Pop, pela Defensoria Pública da Bahia. Fui tentando até conseguir. Sempre passo por aqui [na Unidade de Apoio na Rua]. Aí eu vi esse movimento importante e parei aqui. Já conversei com a médica e vou ver se consigo fazer um raio-x”.

A Supervisora de Campo do Corra pro Abraço, Danielle Rebouças, considera que essas ações realizadas pelos serviços que compõem o Distrito de Itapagipe são necessárias para “aproximar as pessoas em contexto de vulnerabilidade dos serviços”. “Mesmo estando no território onde transitam, estas pessoas não chegam aos serviços por desconhecimento ou por barreiras de estigmas. E em momentos como estes podem se sentir mais a vontade para solicitar exames, retirada de documentos, tratamentos, entre outras situações”.

Para Luciene Chaves, enfermeira, sanitarista e integrante da equipe do Consultório na Rua há 5 anos, eventos como estes são importantes para dar visibilidade aos serviços. “Muitos profissionais não querem atender ‘morador de rua’ porque considera ‘sujo’, têm preconceitos. Eles chegam com pressa, sem cuidado. Então eu acredito que eventos como este aproximam o/a assistido/a do profissional de saúde”. E completa: “o que nos faz existir é a soma dos serviços”.

O evento foi realizado pela rede de atenção e cuidado que atende pessoas em contexto de vulnerabilidade no território: Programa Corra pro Abraço, da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social do Estado da Bahia (SJDHDS), Consultório na Rua, Serviço de Assistência Especializada Marymar Novais – SAE/CTA e demais unidades de saúde do Distrito de Itapagipe, Obras Sociais Irmã Dulce e Projeto Axé.

Arquivos anexados:

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.