• CORONAVÍRUS
  • RH Bahia
  • RH Bahia
  • Casa Nova
  • Bahia estado voluntário
  • Bahia estado voluntário
  • marca do passe livre
  • Dia das Crianças - Secretaria lança campanha Bote Fé no Futuro
  • Campanha Respeita As Mina
  • PAA  Leite - Cadastramento
  • Diário Oficial
  • Transparência Bahia
  • Compras Net

Direitos Humanos

15/10/2020 14:10

Jovens da Fundac produzem vassouras sustentáveis com fibras de garrafa pet

Sabe aquela vassoura de piaçava que você tem em casa? Agora, imagina se no lugar da piaçava, você pudesse usar fibras de garrafa pet? Genial, não? Pois é exatamente isso que os adolescentes e jovens, que cumprem medida socioeducativa na Fundação da Criança e do Adolescente (Fundac), órgão da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia (SJDHDS), estão sendo estimulados a fazer durante oficina de empreendedorismo e sustentabilidade. Com apenas 20 garrafas é possível fazer uma vassoura. E o mais interessante de tudo é que essa opção de utensílio de limpeza chega a durar 10 vezes mais do que a convencional.

O processo começa com a seleção e higienização das garrafas pets. Depois de lavadas, elas são transformadas em fibras com a ajuda de um maquinário específico que custa, em média, R$ 40,00. Depois disso, elas são colocadas em uma ‘grampeadora’, equipamento que pode ser substituído por martelo e que é usado para fixar os conjuntos de fibras pet na ponta inferior que sustentará o cabo. 

O projeto, idealizado pelo educador de medida da Comunidade de Atendimento Socioeducativo (Case) Irmã Dulce, Francisco Assis, além ser sustentável, também visa motivar o empreendedorismo entre os educandos.

“A ideia é que eles sejam agentes multiplicadores desse processo, entre os demais adolescentes e jovens atendidos pela Case. E, que, uma vez cumprida a medida, eles tenham essa opção de ofício para trabalharem”, afirmou Assis. Além de rápido, o processo de montagem da vassoura com garrafa pet não é dispendioso. “Com R$ 250 já é possível investir em um negócio próprio”, concluiu.

O mais interessante é que todas as vassouras produzidas pelos jovens serão usadas na limpeza da unidade. Por serem mais duradouras do que as de piaçava, a iniciativa também vai resultar numa economia significativa para o Estado.

Acompanhe a SJDHDS nas redes: FacebookTwitter, FlickrInstagram e YouTube.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.