• CORONAVÍRUS
  • RH Bahia
  • RH Bahia
  • Casa Nova
  • Bahia estado voluntário
  • Bahia estado voluntário
  • marca do passe livre
  • Dia das Crianças - Secretaria lança campanha Bote Fé no Futuro
  • Campanha Respeita As Mina
  • PAA  Leite - Cadastramento
  • Diário Oficial
  • Transparência Bahia
  • Compras Net

Redução de Danos

01/10/2019 10:10

Centenas de pessoas participam de formação do Corra pro Abraço sobre identidade de gênero

O Programa Corra pro Abraço, da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia (SJDHDS), realizou, na sexta-feira (27), o 2º Encontro do 2º Ciclo de Capacitação em Redução de Danos e Atenção a Populações Urbanas Vulneráveis, das 9h às 18h, no auditório da Escola de Administração da UFBA, no Vale do Canela, em Salvador. Mais de 100 profissionais de diversas áreas (saúde, justiça, educação, serviço social, entre outros) participaram da atividade, que discutiu o tema: “Identidade de gênero na perspectiva do cuidado”.

A primeira mesa, que levou o nome do encontro, contou com palestras de Ariane Senna, psicóloga, sobre “Conceitos, termos e orientações sobre identidade de gênero e sexualidade” e de Carla Freitas, integrante do NuCuS/UFBA, sobre “Crianças dissidentes e as milícias de gênero e sexualidade”. A mediação ficou por conta de Luciana Rocha, coordenadora pedagógica do Corra pro Abraço.

“A identidade de gênero vem falar da maneira que a gente se vê, que a gente se percebe. Que é diferente de orientação sexual, que é atração sexual e afetiva que sentimos por outra pessoa”, explicou Ariane. Já Carla Freitas trouxe a questão da infância para o debate. “As crianças trans existem em meio ao ‘pânico trans’. As crianças são obrigadas a brincar com o que lhe for destinado. É como se fosse evitável ser trans e por isso sequestram essas infâncias e tiram o direito destas infâncias serem vivenciadas em suas integridades”, refletiu a pesquisadora.

Luciana Rocha, coordenadora geral do Corra, destacou que essa formação “surgiu de uma demanda real do programa”.  “Temos feito um exercício interno grande para alcançar qualidade nessa coleta das informações. E esse evento foi um momento privilegiado para podermos aprofundar esse tema. Um conhecimento fundamental para todos os profissionais de todos os setores da rede de atenção e cuidado”, afirmou.

Ao longo do dia, foram realizadas as mesas “Construção da identidade de gênero: vivências e estratégias de cuidado”, com participações de Fabiane Galvão, do Casarão da Diversidade; João Hugo e Sellena Ramos, da Casa Aurora; Victor Andrade, Coletivo De Trans pra Frente, e mediação de Álex ìGBÓ, educador de linguagem do Corra pro Abraço – Juventude, e  “Rede de Cuidado e atenção à população LGBTQI+”, com Fernando Meira, médico integrante do Coletivo De Trans Pra Frente; Alexandre Santos Pereira, psicólogo do CEAPA; Júlia Regina, assistente social e integrante do GAPA Bahia; Thiffany Odara, ativista e integrante do grupo operativo da DPE-BA e mediação de Francisco Cunha, psicólogo das estratégias do Corra pro Abraço – Rua.

A ação contou com apoio do “Pega a Visão: estratégias de comunicação para políticas públicas de cuidados e redução de danos para jovens e pessoas em situação de rua”, programa de extensão iniciado na Universidade Federal do Recôncavo (UFRB) e que agora conta também com apoio da Escola de Administração da UFBA.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.