• RH Bahia
  • RH Bahia
  • Casa Nova
  • Bahia estado voluntário
  • Bahia estado voluntário
  • marca do passe livre
  • Dia das Crianças - Secretaria lança campanha Bote Fé no Futuro
  • Campanha Respeita As Mina
  • PAA  Leite - Cadastramento
  • Diário Oficial
  • Transparência Bahia
  • Compras Net

Acessibilidade

09/07/2019 17:07

Encontro no CSU de Castelo Branco promove roda de conversa sobre o Passe Livre

A Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia (SJDHDS), através da Superintendência dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SUDEF) promoveu, nesta terça-feira (09), no Centro Social Urbano do bairro de Castelo Branco, uma nova roda de conversa sobre o Passe Livre Intermunicipal para Pessoas com Deficiência. 

O  encontro foi voltado aos beneficiários do Passe Livre Intermunicipal de Castelo Branco, Cajazeiras, Boca da Mata, Canabrava  e adjacências, e teve como objetivo, por meio de orientação profissional, esclarecer dúvidas, questionamentos e sugestões sobre a emissão de documentos, além do diálogo sobre inclusão, orientação acerca de processos jurídicos e dos direitos dos assistidos.   

"O direito ao Passe Livre é a garantia de que outros direitos estejam ao alcance das pessoas com deficiência. O documento garante o exercício da cidadania e autonomia na busca por serviços, seja na capital ou no interior do estado", afirmou Alexandre Baroni, superidentende da Sudef/SJDHDS.  

O beneficio do Passe Livre Intermunicipal é garantido por lei e permite aos beneficiários, pessoas com deficiência comprovadamente carentes, que se desloquem gratuitamente de um município para outro. O deslocamento pode ser em transporte rodoviário, ferroviário, aquaviário ou metroviário, em busca de tratamento médico, serviços de lazer e/ou educação, dentro do estado da Bahia.  

Para Franscisco Carlos, morador do bairro e usuário do Passe Livre, "o documento é de grande valia. Nunca tive nenhum problema desde primeira utilização da carteira. Me acidentei há 3 anos e isso causou a deficiência na minha perna. Utilizo a carteira duas, a três vezes no mês para visitar minha mãe, que também é deficiente, porque ela tem uma maior dificuldade de locomoção ou para ir ao médico".   

De acordo com Zenira Rebouças, diretora de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Sudef/SJDHDS, o objetivo das reuniões é o aprimoramento do benefício. "Estamos aqui hoje para dialogar, ouvir queixas, elogios, sugestões. Essa é a forma que encontramos para desenvolver melhorias e mudanças no Passe Livre. Tenho esclarecido nas rodas de conversa que em relação a questões conflituosas, o assistido deve fazer o registro da situação e procurar a Agerba (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transporte e Comunicações da Bahia) para ter orientação nas questões jurídicas", pontuou.  

A primeira edição da roda de conversa foi realizada no bairro de Pernambués. Além desta edição no bairro de Castelo Branco, outras reuniões serão realizadas em demais bairros da capital para ouvir os usuários. 

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.