• RH Bahia
  • marca do passe livre
  • Dia das Crianças - Secretaria lança campanha Bote Fé no Futuro
  • Campanha Respeita As Mina
  • PAA  Leite - Cadastramento
  • Diário Oficial
  • Transparência Bahia
  • Compras Net

Acessibilidade

24/05/2018 13:05

Cilba faz acompanhamento de gestante surda no pré-natal

Diele da Silva dos Santos, 26 anos, mãe de Daniel, de 1 ano e 4 meses, mora no bairro de Pau da Lima, em Salvador, e está esperando o segundo filho. Grávida de cinco meses, ela precisa ir às consultas do pré-natal na Unidade de Saúde da Família (USF) do bairro de Canabrava, para saber se está tudo bem com o bebê - assim como em qualquer gestação. Mas, diferente de outras mães, Diele necessita de um atendimento adequado: por ser surda de nascimento, é difícil para ela se comunicar com os médicos e, assim, seguir as recomendações para cuidar da saúde.

Na manhã desta quinta-feira (24), durante a segunda consulta do pré-natal, tudo foi diferente: Diele pôde tirar dúvidas e entender todas as recomendações e exames passados com a ajuda da Central de Intérpretes do Estado da Bahia (Cilba), órgão vinculado à Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento (SJDHDS). “Quando vim da primeira vez, não entendi quase nada do que a médica disse, então parei de vir. Mas, com a intérprete, eu consigo entender os cuidados que tenho que tomar. Não tive acompanhamento médico na minha primeira gravidez, mas agora tenho esse apoio. Fico muito mais tranquila”, disse.

Buscando facilitar o diálogo com a gestante, a equipe da USF solicitou o apoio da Cilba, que disponibilizou a intérprete de Língua Brasileira de Sinais (Libras), Isabela Miranda, para acompanhá-la ao longo de toda a gestação. “Quando oferecemos o acompanhamento, ela ficou muito feliz, pois é um serviço contínuo, em que ela se sente acolhida”, explica a coordenadora da Cilba, Naiara Costa. Segundo Naiara, a Central costuma acompanhar casos de caráter mais administrativo, mas esta é a segunda vez em que há assistência a uma gestante surda.

Diele conta que ainda não sabe o sexo do bebê nem qual nome pretende colocar nele, mas ficou emocionada ao “escutar” o batimento cardíaco do filho pela primeira vez. “Eu deitei e comecei a sentir. Parecia que o coração dele estava batendo junto com o meu. Nunca tinha sentido isso antes. Estou muito agradecida!”, falou, animada. Terminada a consulta, ela foi encaminhada à Casa da Criança Bezerra Menezes, em São Marcos, para receber um kit com o enxoval do filho.

De acordo com a fundadora da instituição, Virgínia Vieira, a doação de enxovais acontece em maio todos os anos e é destinada às grávidas acompanhadas pela Casa ou moradoras da comunidade. “Muitas mães são de primeira viagem. Então damos dicas, lanches e orientações para elas. É um trabalho bonito”, disse.

A próxima consulta de Diele está marcada para junho. Até lá, a futura mamãe continuará contando com o intermédio da Cilba, que também presta auxílio na marcação de exames para surdos e pessoas com deficiência auditiva.

Funcionamento

A Central de Intérpretes do Estado da Bahia funciona no prédio da SJDHDS, na 3ª Avenida do Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador. O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 12h e das 13h30 às 17h30, com intérpretes à disposição para atendimento presencial ou online de surdos, pessoas com deficiência auditiva e oralizados que se comunicam por Libras e que precisam de apoio para ter acesso aos serviços ofertados pelo poder público.

Para utilizar o atendimento da Cilba, o surdo precisa se cadastrar pessoalmente na Central, levando Carteira de Identidade, CPF, cópia da audiometria e uma foto 3x4. No caso de solicitação de intérprete por uma instituição, deve-se encaminhar um ofício com cinco dias úteis de antecipação.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.